sexta-feira, setembro 09, 2011

Avança o Crash-Countdown




Indicador é um salto na cotação do ouro de 100 Dólares

Resumindo algumas palavras sobre o Euro: as diversas ações de salvamento do Euro estão falhando na esfera política. A Finlândia não aceita mais fornecer dinheiro aos gregos, ou apenas contra um dinheiro-retornável, que outros pagadores devem repassar. E outros países se uniram à ideia e querem fazer a mesma coisa. O próximo “pacote de salvamento”, o ESM, não passará pelo parlamento. Seria uma própria tarefa deste parlamento. A concordância em todos os 17 países do Euro seria necessária.

Também não avançam outros “veículos salvadores” como o Eurobonds ou um “governo econômico europeu”. A única coisa que ainda seguro o Euro são manipulações do mercado e o período de férias. Os mercados financeiros não estão com suas cadeiras totalmente ocupadas, mas isso mudará no início de setembro. Então nada mais irá ajudar, mesmo quando o banco central suíço comprar enormes quantidades de Euro. A queda do Euro se aproxima.

Crise bancária 2.0

Nós não discorremos aqui sobre o morticínio dos bancos gregos, mas sim de grandes bancos como o Unicredit, Societé Générale ou Bank of America. Segundo informações da mídia, todos estes estão à beira do abismo e certamente também muitos outros bancos. Se apenas um desses bancos cair, devido à retira maciça de capital, todos caem. O mercado interbancário está mais uma vez em colapso.

Da mesma forma que os conselhos dos bancos europeus e o FMI alertaram publicamente sobre os perigos antes da crise bancária em 2008. Neste ano, o sistema pode ser salvo apenas com muito esforço e enormes somas vindas dos bancos centrais e dos países. Além disso, o inimigo do sistema, a cotação do ouro, valia metade do que seu valor atual. Hoje em dia, os diversos títulos dos países falidos contidos no portfólio são os principais causadores da crise bancária. Um salvamento dos bancos como aconteceu em 2008 não será mais possível em 2011. Quando ocrash iniciar, desmorona tudo muito rapidamente e os bancos fecharão suas portas. Então virão as reformas monetárias, onde novas moedas nacionais serão introduzidas na Zona do Euro. As ovelhas poupadoras estarão então tosadas. Quando acontecerá? Provavelmente em setembro 2011.

Ouro

Entrementes acontece uma corrida mundial em direção ao ouro. Na Zona do Euro apenas na Alemanha e parcialmente na Áustria. Por isso sua cotação subiu há algumas semanas até 1.900 Dólares a onça, sofrendo então uma brutal pressão através de um esforço hercúleo. Mas uma retomada da elevação da cotação do ouro é certa. Esta fuga do sistema do papel-moeda não pode ser mais impedida, apenas contida momentaneamente. Logo chegará o ponto, onde os Bancos Centrais e os países devem tentar, como em qualquer crise monetária, salvar tudo com juros altos e contenção enérgica de despesas. Somente depois desaba a casa: bancos, ações, países, empresas endividadas, todo capital.

O indicador para um crash do sistema será: quando o preço do ouro avançar de repente 100 Dólares a onça ou mais, e não poder ser reprimido.

E não esquecer: após o crash, fazem as regras apenas aqueles que possuem o ouro; não mais os atuais políticos e demais elites. Estes irão afundar com o papel-moeda. A ira dos poupadores lesados será terrível. Ela eclodirá logo.



Walter Eichelburg, engenheiro.

O autor do artigo não é um consultor financeiro, mas sim um investidor em Viena - NR.

Este artigo apareceu na revista ef-online, de 03 de setembro de 2011.

http://www.inacreditavel.com.br/novo/mostrar_artigo.asp?id=981
Fonte >> 

0 comentários:

Postar um comentário